30 de jul de 2014

Volta Lucas


É com grande pesar que trago a triste confirmação, que José Lucas Pereira Queiroz, tão pequeno, tão inocente, raptado do quintal da casa da avó, há quase seis meses atrás, foi vítima de brutal assassinato. Não há palavras que possam confortar os pais neste momento, por isso pedimos em oração, que Deus os fortaleça para suportarem tamanho sofrimento. Ainda não se sabe como ou quem cometeu esta brutalidade, apenas foi confirmado através do exame de DNA que a ossada encontrada, de fato era dele.

Mais informações:
http://www.aracatiemfoco.com.br/2014/12/dna-confirma-ossada-encontrada-em.html?m=1




Lucas estava no quintal da vó brincando, esse quintal tem uma cerca, e essa cerca da para um matagal, questão de minutos quando a mãe foi chamá-lo ele não respondeu, encontraram pegadas de um adulto junto com as pegadas dele. (relato )



José Lucas Pereira Queiroz, mais conhecido por LUCAS,  tem 3 aninhos, é uma criança branquinha, não muito gordo, ultima vez que foi visto pelos familiares estava com o cabelo curtinho, ,estilo corte sufista.


Na  internet a campanha #VoltaLUCAS ganha força, mas a polícia já encerrou as buscas em Aracati, a 148 km de Fortaleza onde ele desapareceu.

Segundo informações da Polícia de Aracati, a possibilidade de que ele esteja perdido estaria sendo descartada, pois equipes lideradas pelo Corpo de Bombeiros já vasculharam a área. Informações sobre o paradeiro de José Lucas podem ser fornecidas por meio do telefone da Delegacia de Aracati, pelo número (88) 3446-2601.

Desaparecimento
De acordo com o primo da criança, Daniel Lucas de Queiroz, de 19 anos, o menino teria pedido à mãe para brincar no quintal da casa da avó. Poucos minutos depois, ele não atendeu aos chamados da família. Quando a mãe foi até o local, percebeu que a porta que dava acesso à casa do vizinho estava aberta.

Segundo Daniel, a casa ao lado à da família possuía outra porta, também aberta, que dá acesso ao matagal. Inicialmente, a mãe procurou pela criança no entorno, mas não houve resultado.

.Assista o vídeo -   Qualquer informação avise a polícia, ou faça uma denúncia anônima.






29 de jul de 2014

Encontrada sem vida criança desaparecida há 4 meses no Paraná

Desaparecida há 4 meses, Maria Clara Zortea Ramalho 

foi encontrada sem vida.

A mãe confessou friamente o assassinato. Há suspeitas de magia negra.





Maria Clara Zortea Ramalho estava desaparecida desde março


Conforme o depoimento de Vanessa Aparecida Ramos do Nascimento - mãe da menina Maria Clara - foi morta no dia 04 de março deste ano. Segundo denúncias, há um ano ela agredia a menina e a outra filha, uma criança que hoje tem dois anos. As agressões eram para ‘purificar’ as meninas, que podiam estar ‘possuídas’ por algum demônio.

O delegado Edgar Santana, acredita que o crime também foi cometido por outra mulher que passou a morar com Vanessa. "A mulher contou que estava fazendo o ritual de purificação da criança e que Giulia teria dito que para dar certo precisaria por Maria Clara no porta-malas do carro e ela fez isso às 3 horas da madrugada. Às 9 horas da manhã, quando foi ao veículo, a menina estava morta. Depois ela ficou com o cadáver dois dias em casa, acreditando que a filha fosse ressuscitar, quando viu que isso não ia acontecer, ocultou o cadáver", contou o delegado. 

A polícia ainda não dá a investigação por encerrada. O Escort da mãe foi apreendido e será levado para perícia. O inquérito deve ser concluído nos próximos dias.

Ligação anônima

Após investigações, denúncias chegaram até a polícia que realizou diligências, por meio de uma ligação anônima, a equipe tomou conhecimento de que Vanessa estava escondida em uma chácara em São João do Oeste, distrito de Cascavel, porém a mulher foi encontrada na tarde de hoje (28) no terminal de transbordo leste, região do bairro São Cristóvão.
Vanessa relatou a polícia que a amiga estava escondida no mesmo bairro, em seguida Giulia Albuquerque foi encontrada na região do loteamento Rivadavia.
Segundo a polícia, Giulia que tem dois filhos e já foi denunciada por maus tratos a um deles, porém não confessa o crime. Já Vanessa, confessou com frieza em depoimento que as duas são responsáveis pela morte da criança.
A polícia não descarta a hipótese de que Maria Clara tenha sido morta em um ritual de magia negra.
Trechos da entrevista 
“Em março do ano passado a Vanessa conheceu Giulia em uma convenção religiosa e passaram a morar juntas, inclusive com as duas crianças. Durante todo esse tempo as crianças sofriam agressões e viviam encarceradas, podendo sair apenas para ir à igreja. Em março deste ano aconteceu o óbito” relatou Edgar Santana.

“Inicialmente nós tivemos um Boletim de Ocorrências de desaparecimento de mãe e filha em fevereiro. Os policiais foram atrás, mas constataram que elas não estavam desaparecidas, e sim mudado de endereço. Elas levaram a mudança e o carro da família. O que acontece é que na última quinta-feira recebemos informação que a criança pudesse ter sido sequestrada e acabamos prendendo as duas e a mãe disse que matou”.

“Elas foram autuadas em flagrante por ocultação de cadáver e agora nós vamos solicitar à Justiça para que decrete a prisão pelo homicídio”, relatou a delegada Mariana Vieira.